Toda Turquia

Clássica


    Dia 1  ISTAMBUL

___________________________

    Dia 2  ISTAMBUL

___________________________

    Dia 3  ISTAMBUL

___________________________

    Dia 4  ISTAMBUL-ÉFESO-KUSADASI

___________________________

    Dia 5  KUSADASI-BODRUM-MARMARIS

___________________________

    Dia 6  MARMARIS-DALYAN-ANTALYA

___________________________

    Dia 7  ANTALYA-ASPENDOS-SIDE-KARAMAN-NIGDE

___________________________

    Dia 8  NIGDE-CAPADÓCIA

___________________________

    Dia 9  CAPADÓCIA-IHLARA-KONYA

___________________________

    Dia 10  KONYA-EGIRDIR-PAMUKKALE

___________________________

    Dia 11  PAMUKKALE-ÉFESO-KUSADASI

___________________________

    Dia 12  KUSADASI-IZMIR-BURSA-ISTAMBUL

___________________________

 


   “A cidade, no encontro de dois mares e continentes parecia um diamante incrustado entre duas safiras e esmeraldas formando a pedra mais preciosa de dois impérios universais.” O Sonho de Osman de Constantinopla, 1280



Toda Turquia Clássica

 

  Segundo seu mito fundador, Bizas – filho de Poseidon e Keroessa – veio da Grécia em busca de um local para fundar uma nova colônia orientado pelo Oráculo de Delfos. A profecia dizia que o local ideal era aquele “Do lado oposto ao cego”. Diz a lenda que Bizas entendeu que seria o local seria a costa do Chifre de Ouro, que é naturalmente protegido. A nova povoação chamou-se Bizâncio em homenagem ao fundador.

 A fundação de Bizâncio data de 657 A.C. A localização foi um dos principais trunfos para a cidade prosperar, pois podia cobrar impostos dos navios que trafegavam pelo Bósforo.

 Logo, tornou-se um grande mercado e, claro, também, alvo das investidas de outros povos. Assim, Bizâncio foi  submetida pelos persas, depois ficou sob o poder de Atenas, fazendo parte da Liga de Delos contra a qual se revoltou algumas vezes, foi ocupada por Esparta após a Guerra do Peloponeso, voltou a ser livre, e posteriormente parte do império de Alexandre, O Grande.

  Em 79 A.C Bizâncio foi incorporada ao Império Romano, com status de estado livre. E foi graças ao apoio ao lado perdedor na disputa pela sucessão romana em 193 d.C. que foi destruída e uma nova cidade construída em seu lugar. Sétimo Severo, agora imperador romano, realizou um cerco à cidade que apoiara seu oponente e a queimou completamente. No entanto, Severo utilizou o mesmo local para reconstruir a cidade, com o dobro do tamanho de Bizâncio, incríveis muralhas e um Hipódromo, e chamou a cidade de Augusta Antonina.

  No século IV, Diocleciano decretou que o Império Romano deveria, depois dele, ser governado por coimperadores, um para o Oriente (com a capital em Augusta Antonina) e outro para o Ocidente, com capital em Roma.  Mas, como a divisão suscitou uma guerra entre os coimperadores, a cidade ainda se tornaria o centro do mundo conhecido até então. Em 324, Constantino reuniu o império novamente sob um único imperador. A capital ficou no Oriente, que em 330 passou a se chamar Constantinopla, a cidade de Constantino. Os imperadores da “Roma do Oriente” ou de “Constantinopla” ficaram conhecidos como Bizantinos.

  Enquanto a Europa se assustava com as investidas dos povos bárbaros – Roma foi tomada e saqueada em 476 d.C. -, Constantinopla prosperou, mas não sem se proteger. O imperador Teodósio construiu muralhas ainda maiores. Essas muralhas ainda hoje podem ser vistas e protegeram a cidade de maneira decisiva ao longo de séculos, resistindo a uma série de invasões árabes e búlgaras. Também foi Teodósio quem construiu a Basílica de Santa Sofia (que foi destruída em um incêndio). O imperador bizantino mais famoso, no entanto, foi Justiniano, que junto a sua esposa Teodósia, construiu obras impressionantes, como a Pequena Santa Sofia, Santa Irene, a Cisterna da Basílica e a Nova Hagia Sophia (537 d.C), a catedral de Constantinopla.

  Na virada do milênio a poderosa Constantinopla enfrentava as investidas do império turco vindo da Anatólia, a concorrência comercial da rica Veneza e as investidas dos cavaleiros cruzados, além de disputas internas pela sucessão. Foi graças a mistura de vários fatores destes que em 1204 foi saqueada pela IV Cruzada, liderada pelo doge de Veneza Enrique Dandolo. Dandolo é um desses personagens inacreditáveis da história e liderou a operação quando já tinha mais de 85 anos e estava cego. Ele controlou parte da cidade, incluindo a Hagia Sophia, que foi convertida em igreja romana. Hoje, pode-se ver o túmulo de Dandolo no museu que funciona no local.


Santa Sofia (em grego: Άγια Σοφία; romaniz.: Agia Sophia, que significa "Sagrada Sabedoria"; em turco: Ayasofya)

 O poder Bizantino seria restabelecido apenas meio século depois, com a liderança de Miguel. O império só foi definitivamente desafiado pelos otomanos – como ficaram conhecidos os seguidores de Osman, ou o Guerreiro da Fé, morto em 1324 e cujo filho se tornou o primeiro sultão.

 Em 1394 e 1440 os otomanos não conseguiram tomar Constantinopla, mas sob a liderança de Mehmet II (ou Maomé II) finalmente obtiveram a vitória em 1453. Com a conquista, a Hagia Sophia foi convertida em mesquita e e a Fatih Camii (Mesquita do Conquistador) e o Palácio Topkapi construídos. Constantinopla ganhava mais uma camada de uma nova cultura sobre sua história.

 O Império Otomano tornou-se uma das maiores forças militares do mundo e se expandiu incluindo territórios no Oriente Médio, Leste Europeu e Norte da África e vencendo disputas contra gigantes como a Rússia.

 No século XIX mesmo já tendo deixado o tempo de exuberância dos sultões para trás, Constantinopla ainda era uma das cidades mais importantes do mundo. O governo seguia com suas construções magníficas, como o Palácio Dolmabahçe que ficou pronto em 1856 e tem um estilo mais europeu para substituir o Topkapi, e o famoso Expresso do Oriente estendeu sua linha até a cidade em 1889.

 O gigante sobreviveu até a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), que provocou seu esfacelamento e a criação de novos Estados independentes, entre eles a República da Turquia em 1923. Ataturk, oficial herói de Gallipoli liderou uma revolução que terminou com a fundação do atual Estado Turco, laico, nacionalista.


Mustafa Kemal Atatürk, foi um marechal de campo, estadista revolucionário turco e fundador da República da Turquia, assim como o seu primeiro presidente.

____________________________

 

Traslado de chegada

em 19/05/2022 em Istambul.

The city straddles the Bosporus strait, lying in both Europe and Asia, and has a population of over 15 million residents, comprising 19% of the population of Turkey. Istanbul is the most populous European city, and the world's 15th-largest city

The old walled city of Istanbul stands on a triangular peninsula between Europe and Asia. Sometimes as a bridge, sometimes as a barrier, Istanbul for more than 2,500 years has stood between conflicting surges of religion, culture, and imperial power. For most of those years it was one of the most coveted cities in the world.

__________________________


Noite de 19/05/2022 na icônica

cidade de Istambul


Mapa das muralhas

de Constantinopla

 

Império Otomano . Islã, Império da Fé narrado por Ben Kingsley (legendado)

 

___________________________________

A Turquia, nome oficial República da Turquia, é um país transcontinental. Isso porque localiza-se em dois continentes: a maior parte na Ásia, e a menor na Europa.
É o terceiro país mais populoso da Europa, ficando atrás da Rússia e da Alemanha.

  • Capital: Ancara
  • Extensão territorial: 783.560 km²
  • Habitantes: 84 680 273 hab. (dados de 2021)
  • Clima: Mediterrânico
  • Idioma: Turco
  • Religião: Islamismo
  • Moeda: Lira turca
  • PIB: 720,1 bilhões USD
  • Sistema de Governo: República parlamentarista

                                                                    IDH (2019)         0,820 (54.º) – muito alto