Londres

Autumn 2017 in London

 

Centro do maior império que já existiu na Terra, Londres é a expressão máxima do peculiar espírito inglês. Cidade de status global, é importante há quase dois milênios, por sua participação na política, nas finanças, no entretenimento e nas artes.

Exilado em Londres em 1726, Voltaire fascinou-se pela grande capital. O tumulto das ruas apinhadas do povo, a cacofonia das vozes e das charretes e carroções com suas rodas gemidas, soou-lhe como a sinfonia do progresso. O curioso foi a quem ele atribuiu a razão daquela prosperidade nunca vista. A multidão toda, assegurou, trabalhava para satisfazer o capricho dos mundanos, dos bon vivants, que graças às suas extravagâncias de ricos, seu gosto pelo luxo, faziam as coisas funcionar, dando emprego a milhares de laboriosos operários.

Londres foi fundada pelos romanos há mais de dois mil anos. A cidade tornou-se a capital da Inglaterra em 1066, após a invasão dos normandos vindos do norte da França, liderados por Guilherme, o conquistador.


William I, the Conqueror

Diariamente cheia de taxis, ônibus e muita gente nas ruas, especialmente durante o verão europeu, as principais marcas do mundo estão na capital britânica, shows e espetáculos extremamente variados, diversos museus de altíssimo nível, palácios e a pomposa realeza britânica.


Queen Elizabeth II

Londres é um dos três principais centros financeiros do mundo, cabendo-lhe a maior parcela da negociação em numerosos mercados financeiros internacionais. O status de Londres como centro financeiro internacional é sustentado por uma variedade de fatores, especialmente sua cultura de negociação, sua base de especializações, a qualidade de seus serviços profissionais e auxiliares, o idioma universal, o fuso horário e um ambiente onde existe proporcionalidade nas regulamentações. Tanto em termos da negociação de ouro a vista quanto de empréstimos em ouro, Londres é o mercado de maior liquidez do mundo, sendo também o centro global de compensação para as negociações internacionais de ouro. Os preços mundiais do ouro e da prata são determinados diarimente em Londres, por intermédio dos membros da London Bullion Market Association (Associação do Mercado de Metais Preciosos de Londres).


City of London

Desde julho de 2000, o governo estratégico de Londres é de responsabilidade da Autoridade da Grande Londres (GreaterLondonAuthority).

Os mais tradicionais centros turísticos :

Buckingham Palace, palácio da família real. É possível entrar para visitação.


Buckingham Palace

É justamente ali em frente ao Palácio que todos os dias centenas de turistas se aglomeram às 11h e 30min. da manhã para assistirem à troca da guarda. A pomposa cerimônia dura cerca de 40 min, com participação da banda escocesa.


Troca da Guarda

A torre do relógio e o Big Ben(não é o nome do relógio, e sim do maior sino (com 15,3 ton.) da Clock Tower (Torre do Relógio)) fazem parte da Houses of Parliament, o prédio do parlamento inglês, onde o primeiro ministro da Inglaterra e os demais parlamentares atuam. A arquitetura em estilo medieval, com traços góticos e renascentistas, data do século XIX. Visto de dia ou de noite, na beira do Rio Tâmisa, esse prédio retrata a sofisticação e o poder britânico.


Houses of Parliament

Bridge Tower é outra marca da cidade. Foi construída no século XIX; esta grande ponte sobre o rio Tâmisa(Thames) é muito interessante, pelo seu formato e porque é sustentada por duas torres.


Bridge Tower

Forma também um belíssimo pórtico da cidade em estilo vitoriano. Bem pertinho está a Tower of London, que já completa quase um milênio.


Tower of London

Esta torre, carregada de história, já serviu de fortaleza, castelo e presídio. Um pouco mais adiante, chega-se na St. Paul’s Cathedral, que tem a segunda maior abadia do mundo, perdendo apenas para a Basílica de São Pedro no Vaticano.


St Paul's Cathedral

A igreja foi construída inicialmente em 1604, passou por incêndios e reformas, terminando sua versão final em 1710, em estilo barroco. Foi palco de momentos marcantes da história britânica, como o funeral de Winston Churchill, em 1965, e o casamento do príncipe Charles com a princesa Diana, em 1981.


Abadia de Westminster

A Abadia de Westminster teve ao longo dos séculos um papel relevante na história da Inglaterra e do Reino Unido, como palco de coroações e casamentos reais. Muitos monarcas britânicos e membros da família real estão sepultados na Abadia. Lá esta enterrado o corpo do famoso físico inglês Isaac Newton.

Londres tem dezenas de museus, dentre os quais alguns são gratuitos. Os principais : National Gallery, com exposições de arte; o British Museum, de antiguidades; o Museum of London, com a história da cidade; e, claro, o Madame Tussaud’s, com as personalidades mundiais esculpidas em cêra.


British Museum

Picadilly Circus, da esquina repleta de propagandas em neon (e um dos pontos de mídia mais caros do planeta), chega-se na Oxford Street, a rua das compras, onde estão as melhores lojas. Londres é uma das 5 cidades mais caras do mundo.


Picadilly Circus

Próximo da Oxford St., está o Hyde Park. No verão é comum as pessoas irem aos parques para aproveitar o sol, como no resto da Europa.


Hyde Park

Os ingleses são os pais da Revolução Cultural. Desde o surgimento dos grupos de rock, Beatles e os Rolling Stones nos anos 60 ao surgimento do movimento punk no anos 70, a Inglaterra é o país do rock and roll. A maioria dos pubs ingleses, com suas pints, grandes jarras de cerveja, fecham as 23:00h, mas se houver música ao vivo, eles conseguem uma licença para fechar mais tarde.


Pub in London

Já nos anos 90, os ingleses foram os mestres da música eletrônica. Tocava-se Baby Ford, A Guy Called Gerald e o hino We Call It Aciiieeed, do D-Mob. Ali surgiram as Raves. As festas psicodélicas rolavam ao ar livre nos subúrbios de Londres, distantes da polícia e das rígidas leis britânicas, depois se estenderam para estações de metro desativadas ou casas e galpões abandonados. Hoje em dia, o universo escuro e privado dos nightclubs começa a aflorar por volta da meia-noite e embora grande parte desses clubs só tenha licença para vender álcool até as 2h da manhã, muitos continuam abertos até o amanhecer e alguns vão after party.


Biggest rave in London Wembley Arena

A expressão Tecno-Xamanismo foi cunhada no final da década de 80, pelo inglês Fraser Clark, dono do club londrino Megatripolis. O termo ajudou a formar opiniões sobre a ligação da cultura eletrônica neo-hippie com os rituais sagrados do tribalismo. Nas solenidades xamânicas, ritmos fortes e rápidos e ervas psicodélicas naturais provocavam os efeitos de transe necessários para alinhar corpo, mente e alma e conseguir uma suposta comunicação dos índios com os seus deuses. Nos tempos modernos, acrescidas do prefixo tecno, as batidas do xamanismo se tornaram eletrônicas e as drogas, em grande parte, sintéticas. Como ideologia, os ravers adotaram a defesa dogmática do PLUR (peace, love, unity and respect - paz, amor, unidade e respeito). Uma curiosidade da capital inglesa é que a criminalidade é baixa. Londres é uma cidade segura para se viver.

De tempos em tempos, a imprensa especializada gasta espaços consideráveis proclamando a morte-disso-e-o-surgimento-daquilo. Recentemente a principal revista de clubes do Reino Unido, a Mixmag, sofreu uma queda de 30% nas vendas; e o precursor dos superclubes, o Ministry of Sound, teve que passar por uma recauchutagem de um milhão de libras esterlinas (quase R$ 5 milhões) depois de 12 anos de existência, para acompanhar a mudança dos tempos.


Ministry of Sound

"Precisamos atender a um mercado que já existe há 15 anos juntamente com outro ainda bem jovem", explica Kelly Hughes, assessora do Ministry of Sound, ou MoS. Segundo ela : "Continuamos oferecendo as coisas essenciais que tornaram o clube famoso, como um grande salão com o fantástico sistema de som, três ambientes com diferentes gêneros de house music, mas também recriamos o andar de cima, aumentamos a sala VIP, agora temos um amplo mezzanino, servimos coquetéis, temos garçonetes à disposição e os clubbers podem fazer reserva de mesas por telefone", conta. Enquanto isso, clubes/bares que adotaram um novo formato para os novos tempos, fazem barulho na noite londrina: Cherry Jam, Neibourhood e o Chibuku Shake Shake.

O meio mais rápido e barato de locomoção em Londres é o metro (tube). Por alguns dólares por dia, é possível viajar para qualquer lugar de Londres sem pegar trânsito. Existem também passes de 1, 3, 5 ou 7 dias de uso ilimitado. Além dos cabs(taxis) tradicionais.

Com a industrialização em marcha, a população de Londres cresceu rapidamente através do século XIX e começos do século XX, e chegou a ser a cidade mais povoada no mundo até ser ultrapassada por Nova York em 1925.

Com uma superfície total de 1.579 kilometros quadrados e com 33 distritos (incluindo a City), a Londres atual, ou Grande Londres, conta com 7.517.700 habitantes (2005). Se estima que em sua área metropolitana vivem de 10 a 14 milhões de pessoas.

 

 

Moderna e tradicional, a capital inglesa é impregnada de história e repleta de energia.



Guia Oficial - Londres

 



Amsterdam | Bahamas | Berlin | Délhi, Mumbai, Chennai and Bangalore | Destinos Românticos | Dubai | Fortaleza | Florianópolis | Jerusalem | I Ilha da Madeira | Londres | Los Angeles | Madrid | Mekong | Montreal | Moscou | Munique | New York | Nordeste | Paris | Rio de Janeiro | Salvador | São Petersburgo | Viena | Martinica