Henri de Toulouse-Lautrec

Ele se achava feio. Tinha narinas largas, língua e lábios grossos, dificuldade para falar, tendência para babar. Um corpo normal da cintura para cima, mas com pernas curtas que resultavam em uma altura de 1,52 m, o que o tornava quase anão.

Suas mãos, bem, criavam maravilhas: um quadro seu, "La Blanchisseuse" (a lavadeira) foi vendido em um leilão da Christie's, em 2005, por US$ 22,4 milhões. Ele era Henri de Toulouse-Lautrec, que nasceu em 24 de novembro de 1864, em uma nobre família francesa.

 

La Blanchisseuse (The Laundress) is a 1886 painting by French artist Henri de Toulouse-Lautrec.On November 2005 it was sold for 22 million dollars at auction by Christie's

 

Ainda criança, Toulouse-Lautrec passou alguns anos com a mãe em Paris. Foi também quando a família começou a notar, nas páginas de seus cadernos escolares, desenhos e pinturas nas margens. Concluíram que era aquele o talento do garoto.

O pintor René Princeteau (1843-1914), amigo do pai, passou a dar lições ocasionais ao futuro artista, cujas primeiras pinturas foram cavalos e o próprio retrato do professor.

 

Henri Toulouse-Lautrec 1864-1901

 

Aos 13 anos, ele fraturou o osso da coxa direita. Aos 14, o da coxa esquerda. "Tropecei em um banquinho e quebrei a perna esquerda", disse. E ironizava, assinando cartas como "Henri pata-quebrada". Toulouse-Lautrec nunca se recuperou completamente. Suas pernas pararam de crescer, o que fez dele um homem extremamente pequeno.

 

Toulouse-Lautrec famous for his portrayals of prostitutes and bar maids, seen here in Japanese fancy-dress costume carrying a doll. (Photo by Maurice Guibert/Getty Images). 1899

 

Com a saúde sempre precária, a mãe decidiu que ele deveria interromper os estudos e voltar a Albi, onde nascera. Levou-o a diversas termas, para se tratar, mas não tiveram nenhum resultado.

A Toulouse-Lautrec restava a pintura, e foi a ela que se dedicou. "Pinto e desenho o máximo que posso, até minha mão cair fatigada", chegou a dizer.

 

Portrait of Emile Bernard, Henri Toulouse-Lautrec

 

Em 1882 voltou a Paris e Princeteau o acolheu em sua casa e o apresentou a Jean-Louis Forain (1852-1931), que aperfeiçoou sua educação artística. Conheceu também o pintor Léon Bonnat (1833-1922), que o recebeu em seu ateliê, mas sem qualquer delicadeza, disse: "Sua pintura não é ruim, é elegante, mas seu desenho é atroz". Em 1904, como presidente da Comissão de Museus, ele vetou a aquisição, pelo Museu de Luxemburgo, do retrato "M. Delaporte au Jardin de Paris", de Toulouse-Lautrec.

 

M. Delaporte at the Jardin de Paris - Henri de Toulouse-Lautrec

 

Seu desafeto, Bonnat tornou-se professor na Academia de Arte de Paris, e Toulouse-Lautrec foi para o ateliê de Fernand Cormon (1845-1924), professor que atraía jovens que iriam reformular a pintura. Sob Cormon, se interessou pelo impressionismo e pela arte contemporânea, pintando quadros que hoje estão nos melhores museus do mundo.

Em 1884, conheceu o pintor Edgar Degas (1834-1917), a quem passou a admirar. Dois anos depois, conheceu Vincent van Gogh (1853-1890) no estúdio de Cormon. Os dois se tornaram amigos.

 

Dancer Adjusting Her Tights - Henri de Toulouse-Lautrec

 

No mesmo ano, conheceu Suzanne Valadon (1865-1938), com quem teve um breve relacionamento. Pintou Suzanne várias vezes, e muitos acreditam ser ela a modelo de "La Blanchisseuse".

Toulouse-Lautrec e Van Gogh conviveram por dois anos, pintaram e fizeram exposições juntos, um influenciando o trabalho do outro.Theo Van Vogh, irmão de Vincent, dirigia uma galeria de arte e foi o primeiro a expor trabalhos do francês.

De 1889 a 1894, Lautrec participou do Salão dos Artistas Independentes. Em um jardim de Montmartre fez vários retratos de Carmen Gaudin, lavadeira e prostituta, considerada por muitos a verdadeira retratada em "La Blanchisseuse".

 

Carmen Gaudin; 1885; Oil on canvas, 53 x 41 cm. Sterling and Francine Clark Art Institute, Williamstown

 

Aberto em 1889, depois de um sucesso de dois anos, o cabaré Moulin Rouge, em Paris, passou a atravessar uma crise. Quem pintara o pôster de inauguração fora o inigualável Jules Chéret (1836-1932), o mestre da litografia. Desta vez, porém, os sócios Charles Zidler e Joseph Oller encomendaram a Lautrec o pôster da nova abertura da casa.

 

La danse au Moulin Rouge; 1890

 

O estilo do enorme pôster era revolucionário: quase não havia texto; no fundo, a silhueta dos espectadores e, na frente, o extraordinário dançarino Valentin, o "sem ossos" como era chamado; no centro, a fantástica dançarina La Goulue (a glutona, por seu gosto pela bebida), a principal atração da casa, inventora do can-can.

 

Moulin Rouge: La Goulue, 1891, Henri de Toulouse-Lautrec

 

Bordéis

Às vezes Lautrec desaparecia, passava dias sumido do Moulin sem que ninguém soubesse por onde andava. Eram os períodos de suas mais variadas e bem-sucedidas incursões artísticas. Os nus sensuais e eróticos estavam em evidência até mesmo nas casas burguesas. E nos bordéis da rue des Moulins e da rue d'Amboise o senhor Lautrec era muito conhecido e sua presença em ambientes íntimos não surpreendia ou chocava ninguém.

Em 1892, a proprietária do bordel da rue d'Amboise decidiu redecorar seu salão principal. Recorreu a Lautrec, que prontamente a atendeu com várias pinturas. Ele era muito agradecido pela liberdade que lhe davam para estudar suas atividades.

 

In Bed: The Kiss, by Toulouse-Lautrec

Towards the end of 1892 Lautrec was commissioned to produce decorations for the salon walls of the Rue d'Amboise brothel, and he decided to design 16 panels in the style of Louis XV, each one centring on an oval portraits of one of the girls. It was during this time that Lautrec had the opportunity to study their lifestyle at close quarters.

 

As prostitutas se abraçavam e beijavam na frente dele, que observava seu lesbianismo e depois o colocava em seus quadros. Há cerca de 50 pinturas suas com o tema bordel, além de inúmeros desenhos e litografias.

Martirizado pela sua pequena estatura e aparência física, Toulouse-Lautrec se socorria na bebida. Primeiro foram a cerveja e o vinho, mas seu gosto o dirigiu para os coquetéis americanos. Apesar de ser a França um país dos puristas do vinho, dava festas em sua casa, nas noites de sexta, e obrigava seus convidados a tomá-los.

 

At the Piano - Madame Juliette Pascal in the Salon of the Chateau de Malrome

 

E consta que inventou um deles: o terremoto. E devia mesmo fazer a terra tremer: era servido em taças de vinho ou batido em coqueteleira e consistia de meia parte de conhaque e meia de absinto (não aquele que se vende atualmente no Brasil, mas o legítimo, com altíssimo teor alcoólico), acompanhado de pedras de gelo.

 

Ball at the Moulin de la Galette 1889

 

Em 1893 o alcoolismo começou a cobrar seu preço. Ele já tinha até uma bengala oca que enchia de bebida, então sempre tinha um drinque ao alcance. Em 1898 ou 1899, Berthe Serrazin, contratada para servi-lo, escreveu uma carta para Adele, a mãe: "Ele parece louco. Eu nunca o vi tão violento. Ele queria bater na pequena governanta".

Após mais duas semanas de comportamento assim, delírios alcoólicos, uma fascinação com fogo que o deixou com uma das mãos seriamente queimada, com quase total impossibilidade de trabalhar, sua mãe e amigos próximos o internaram em uma clínica psiquiátrica. Lá, a abstinência forçada do álcool promoveu um mudança milagrosa em sua saúde.

 

At the Moulin Rouge is an oil-on-canvas painting by French artist Henri de Toulouse-Lautrec. It was painted between 1892 and 1895

 

Saiu da clínica depois de onze semanas, voltou à antiga rotina, voltaram os problemas de saúde.

Dois anos depois mudou-se temporariamente para Bordeaux, também no sudoeste da França, acompanhado por um segurança que na verdade tinha a missão de mantê-lo longe das garrafas, o que era impossível.

Sofre um derrame. Recupera-se parcialmente. Sofre um segundo derrame. É levado para a casa da mãe em Malrome, a 80 quilômetros de distância.

 

Dog car; Henri de Toulouse-Lautrec; 1880

 

A Laborer at Celeyran 1882

 

Deitado no calor sufocante do verão, morre às primeiras horas de 9 de setembro de 1901. Suas últimas palavras são dirigidas ao pai, que estava ao lado: "Velho tolo".

 

Moulin Rouge (John Huston)

Elenco: José Ferrer, Colette Marchand, Zsa Zsa Gabor, Suzanne Flon, Claude Nollier, Katherine Kath, Muriel Smith, Mary Clare, Walter Crisham, Harold Kasket, Georges Lannes, Lee Montague, Maureen Swanson, Tutte Lemkow, Jill Bennett

Sinopse: Muito antes de Baz Luhrmann, mestre Huston fez seu ´´Moulin Rouge´´, mas aqui o famoso cabaré francês serve apenas como ambiente para contar a dramática história do pintor Henri de Toulouse-Lautrec. Pequenino, com pés deformados desde criança, Lautrec vai ao Moulin para beber e desenhar as dançarinas. É quando conhece uma jovem por quem se apaixona loucamente a ponto de seu amor atrapalhar suas habilidades artísticas, seu nome e posição na família.

Ano: 1952 / País: ING / Duração: 119 min / Gênero: Biografia, Drama, Musical / LEG / COR

 

Fontes: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2014/12/1558145-ha-150-anos-nascia-toulouse-lautrec.shtml ; http://www.memocine.com.br/pagFil_Det.php?Ordem=F3003

Home
Links

Artes Plásticas: A Arte do Brasil Holândes | A Arte do Egito Antigo | Arte Pré-Colombiana | Arte Tibetana | Beatriz Milhazes | Capela Sistina | Caravaggio, Pintor da luz e das trevas da alma | Damien Hirst | Francisco Goya | Frida: A Dor da Vida, A Dor Da Arte | Henri Rosseau | Impression : Soleit Levant | Kandinsky | La persistencia de la memoria | Las Meninas | Luz e Espaço | Manet | Meus Quadros - Leandro Reis | O quadro mais famoso do mundo | O Retrato do Doutor Gachet | Os pastores de Arcadia | Pablo Picasso | Pintura Barroca | Pintura Metafísica | Pinturas de Estradas | Rembrandt | Vieira da Silva | Virgem dos Rochedos, A | William Blake | Henri de Toulouse-Lautrec

Cinema: 1944, O Ano Noir |  A Falta que Nos Move | A Verdade Interna Revelada? | Alain Resnais | Alice no País das Maravilhas | Antonioni | As maiores canções do cinema - 0s 25 melhores filmes de todos os tempos | Bergman | Billy Wilder | Blow Up | Cahiers du Cinema | Cinzas da Guerra | Chinatown | Coincidências do Amor ( The Switch ) | Conversas com Scorsese | Ed Wood, Gênio? | Fellini | Garbo | Grandes atrizes francesas | Grande Musicais | Hachiko | Kiss Me Kate | Kundun | L’Enfer de Clouzo | Liz Taylor: Mito | Max Ophuls | Munich | Neo-Realismo Italiano | No Direction Home - Bob Dylan | O amor de Leon Cakoff | Os magos | Pier Paolo Pasolini | Rediscovering | Shane | Steven Spielberg | Sunset Boulevard | The Gang's All Here | Um estranho no ninho | Untold history of the United States | Awake .

Literatura: Arthur Clarke | Clássicos da Literatura | Dom Quixote | Jose Saramago | Joseph Conrad | Grande Gatsby, O | Grandes Poetas por Will Durant | Literatura Inglesa | Mario, Íntimo e pessoal | Vermelho e o Negros, O | Viagem do Elefante, A | Yeats e Joyce resgatam a identidade da Irlanda | Sobre preciosidades evolutivas | Carlyle e a Revolução

Outras: A Flauta Mágica | Antunes Filho | A Cabra ou Quem é SylviaAs pecas de Oscar Wilde | Bejart | Catedral de Chartres | Contemporaneidade | Daquele Instante em Diante |  Debussy, Schoenberg e Stravinsky | Grandes Arquitetos |  Hair | I´m Not There | Lacroix na ArteMistérios e paradoxos de Chopin, para Freire |  Niemeyer, construindo identidades | Nona Sinfonia | Queremos Miles |  Teatro | The Doors Are Open | Ray Charles Live in France 1961 (2011) | Sonho de uma Noite de Verão | Living in The Material World: George Harrison | Edgard Scandurra Estraçalhante | H.Hancock, Lenda Viva do Jazz | Kung Fu | Pina: Visceras de amor | Lou Reed | Música Sacra | Baden Powell Quartet | Todo Aquele Jazz | Osama Kitajima | Eric Clapton 70 | Jimmy Burns, ícone do blues de Chicago | O Lago dos Cisnes | Don Giovanni | Songs 50´s | Joe Harriott | Kindred Spirits Live