São Petersburgo

Existe uma opinião de que São Petersburgo é uma das mais importantes cidades da Europa, ao nível de Paris, Londres, Berlim e Roma, por sua importância histórica e cultural. "Palmira do Norte", "Veneza do Norte" - tem quase 500 pontes e 101 ilhas - é com tais apelidos que caracterizam a segunda capital da Rússia, considerada a mais bela cidade da Rússia. De estilo barroco e neoclássico, seus famosos canais e imponentes palácios sempre exerceram grande fascínio sobre os europeus.


St. Isaac´s Cathedral 1905

Situada em uma posição geográfica favorável, São Petersburgo se localiza no noroeste da Russia, junto à confluência do rio Neva com o Golfo da Finlândia. Isso confere à cidade o status de centro de transporte, comércio e comunicações. O clima é marcadamente marítimo, variando em média de -8º C a 17º C durante o ano.

Pedro, o Grande, fundador da cidade, colocou no dia 16 de Maio de 1703, na ilha Zayachi, no delta do Rio Neva, a pedra fundamental da Fortaleza de São Pedro e São Paulo, cuja finalidade era defender as terras do Neva reconquistadas a Suécia na Guerra do Norte, dando vez ao inicio da história de São Petersburgo, como um projeto de urbanização ocidentalizada.

Em pouco tempo, já era o cenário perfeito para as extravagâncias e armações da dinastia dos Romanov, com a autocracia que se segurou no poder durante quase três séculos. Os monarcas absolutos russos podiam usar o dinheiro do estado sem nenhuma limitação da parte do parlamento ou qualquer outro órgão legislativo Em 1712 torna-se a capital do Império Russo, centro da vida política, cultural e intelectual. Foram contratados os mais prestigiados arquitetos, escultores, pintores e artistas para dar um aspecto singular a nova capital, demandando o sacrifício de dezenas de milhares de trabalhadores, durante anos. Construíram amplas praças, avenidas, esplendorosos palácios para a aristocracia, soberbas catedrais e edifícios administrativos.

Principais Pontos Turísticos

Fortaleza de Pedro e Paulo. Esta, que foi a primeira estrutura da cidade, construída sob a supervisão de Pedro I em pessoa, para proteger a cidade dos suecos. Mas os inimigos foram expulsos antes de ser terminada e então virou uma prisão política. Um dos primeiros hóspedes foi o filho de Pedro I, Alexey, cujas sessões de tortura foram acompanhadas pelo próprio pai. Outro usuário famoso das instalações do presídio foi o escritor Fiodor Dostoievski, que chegou a ficar no corredor da morte e sofrer um dos métodos de tortura mais terríveis: a simulação da execução. Depois disso, o mandaram para a Sibéria.


Peterhof 1905

Dentro da catedral da Fortaleza de São Pedro e São Paulo, grandes sarcófagos de mármore branco guardam os restos mortais de Pedro I e praticamente todos os czares e czarinas que o sucederam – com exceção de Pedro II e Ivan VI. Uma salinha à parte, anexa à nave principal, desperta grande curiosidade. Lá está a família de Nicolau II, o último dos Romanov, executada pelos bolcheviques em Yekaterinburg, na Sibéria Oriental, em 1918. A ordem era que se destruíssem os corpos, mas algo deu errado e eles acabaram enterrados numa cova rasa nas imediações da cidade. Encontrados em 1991 por um grupo de arqueólogos, passaram por diversos testes de DNA e, em 1995, ficou provado: eram mesmo os Romanov. Além de Nicolau II e sua mulher, Alexandra, foram identificados três dos cinco filhos do casal: Alexey, Maria e Anastácia (provando que as lendas que envolvem seu nome não passam de lendas). Apenas em 1998, já no governo Yeltsin, seus restos mortais foram levados à catedral.

Palácio de Mármore, presente de Catarina II para seu mais duradouro amante, o Conde Orlov, quem inclusive a ajudou a livrar-se de seu marido, Pedro III. Catarina, a Grande, era uma princesa alemã, reinou por 34 anos, não deixando espaço para o seu filho Paulo I que governou apenas quatro anos, acabando assassinado numa emboscada.


Nevsky Prospect view towards the Admiralty 1905

A principal artéria da cidade é a Av. Nevsky (Nevsky Prospekt). Numa transversal está a Igreja do Sangue Derramado. A Igreja do Sangue Derramado foi construída onde o imperador Alexandre II foi assassinado no dia 1º de março de 1881 em um atentado a bomba ao passar com sua carruagem às margens do canal. Alexandre II foi o czar responsável por abolir a escravatura, e esta era a oitava vez que tentaram assassiná-lo. Dentro da igreja, no exato local onde o czar caiu, há um altar. É uma das mais belas igrejas do mundo. Chegou a ser usada durante a 2ª Guerra Mundial como armazém de vegetais. Só muito recentemente, em 1997, foi totalmente restaurada e reaberta.


The Church of Our Savior on Spilled Blood 1905

Palácio de Inverno, o magnífico prédio projetado pelo arquiteto italiano Rastrelli, em 1754, para a czarina Elizabeth Petrovna, filha de Pedro I. O estilo barroco/rococó não agradava a Catarina II, que, em 1837, remodelou os interiores para algo mais clássico. Serviu de casa para quase todos os czares até as revoluções de 1917, e hoje dá lugar à maior porção do Museu Hermitage.

Catedral de Santo Isaac, Praça Isaakievskaya. No mesmo local onde estava a igreja em que Pedro I e Catarina I se casaram, a catedral atual foi construída em 1818 pelo francês Auguste de Monferrand, que venceu o concurso promovido pelo czar Alexandre I. Os interiores – de malaquita e lápis-lazúli – e os mosaicos do altar (destaque para a Santa Ceia) são tão luxuosos que os bolcheviques foram generosos: não a destruíram; transformaram-na no “museu do ateísmo”. Na Segunda Guerra, os tesouros foram escondidos e a cúpula dourada, pintada de cinza. Em dias claros, o domo resplandece.

Museu da Vodca Russa, um dos mais visitados da cidade. De um modo geral, para os eslavos beber vodca foi sempre um culto, algo muito diferente do praticado por outras civilizações do resto da Europa. O próprio ato de conversão da Rússia ao Cristianismo esteve de certa maneira relacionado com o hábito nacional de beber. Dizem que o grão-príncipe Vladimir, antes de converter a Rússia ao Cristianismo tinha duas opções - a doutrina cristã e a islâmica. Vladimir rejeitou a variante islâmica por impor rigorosas restrições sobre o consumo de bebidas fortes, tendo, ao que consta, dito: "Na Rússia beber é uma grande alegria e de outra forma não pode ser".

Palácio de Yusupov, propriedade de uma das mais ricas famílias da aristocracia russa e onde o monge Rasputim foi morto.

Dois dos museus da cidade são imperdíveis: o Hermitage, onde há 150 mil obras de artistas como Matisse e Kandinsky, e o de cera do Palácio Beloselski, que conta de maneira lúdica a história do país. A cidade é famosa por seu ótimo jazz, acompanhado de vodcas russas.


Nevsky Prospect and the Admiralty 1905

A lenda vive: a Câmara de âmbar, um fantástico e minucioso quebra-cabeça de 500 mil peças, considerada a "oitava maravilha do mundo", foi totalmente reconstruída e inaugurada recentemente. Ela é ao mesmo tempo símbolo da amizade russo-alemã e das vicissitudes na história dos dois países.

Milagres precisam de tempo para acontecer. Este levou exatamente vinte e quatro anos. Hoje ele brilha novamente em esplendor barroco, em tons de mel, caramelo, laranja e cereja: a enigmática Câmara de Âmbar, ou melhor, a cópia perfeita da lenda barroca. A valiosa decoração das paredes deste verdadeiro salão, com seus 100 metros quadrados, foi um trabalho de entalhadores, joalheiros, arquitetos e gravadores, uma equipe de 50 pessoas que trabalhou sem interrupção durante mais de duas décadas em uma oficina montada no Palácio de Catarina de Tsarskoyie Selo.

Em 2003 a Câmara de Âmbar, em seus mínimos detalhes, foi reaberta em comemoração do aniversário de 300 anos de fundação de São Petersburgo, na presença do Presidente da Rússia, Wladimir Putin e do Primeiro-Ministro da Alemanha, Gerhard Schröder.

Foi uma cerimônia de caráter simbólico, pois a Câmara de Âmbar é um penhor da amizade russo-alemã, mas foi também sempre um símbolo da instável história entre os dois países: o rei da Prússia, Frederico Guilherme I, presenteou em 1716 a "Câmara de Âmbar", herdada de seu pai, ao Czar Pedro, o Grande, como prova de sua estima e consideração.

Shtakenshneider e outros arquitetos de renome, criaram uma cidade única que não tem análogos no mundo. Adornam a cidade, monumentos da história russa: O Ginete de Bronze, consagrado a Pedro, o Grande, o monumento ao grande poeta russo Aleksandr Púshkin, assim como monumentos aos marechais russos Mikhail Kutúzov e Barclay de Tolli.


Alexander's Column and the Palace Place 1905

São Petersburgo foi a mais clara expressão de modernidade no solo da Rússia ao longo do século 19. A capital imperial representou a força estrangeira e cosmopolita que fluiu no país. Por outro lado, Moscou, até então a principal cidade russa, significava as tradições nativas, uma espécie de anti-Iluminismo.

Em 1914, a cidade mudou de nome para Petrogrado, pois o sufixo "burgo" é de origem alemã, e na época a Rússia estava em guerra com a Alemanha ("grad", por seu turno, significa também cidade em russo).

Em 1915, o czar Nicolau II decidiu assumir pessoalmente o comando do Exército, deixando o governo nas mãos de sua esposa, a Imperatriz Alexandra, e de Rasputin, um monge que agia como conselheiro do czar.

Em 1917, a escassez de alimentos era muito grande e provocou uma série de greves. Em 27 de fevereiro desse mesmo ano, uma multidão percorreu a capital do Império pedindo pão e o fim da guerra. Os manifestantes também criticavam o sistema monárquico.

Sob o comando de Trotski, no dia 25 de outubro de 1917, os bolcheviques ocuparam os pontos estratégicos de Petrogrado e o Palácio do Governo. Kerenski, o primeiro-ministro, abandonado por suas tropas, foi obrigado a fugir.

Logo em seguida, após a Revolução Russa, a cidade foi novamente renomeada, desta vez para Leningrado, em 1924, nome com que permaneceu até 1991, quando foi restaurado o original.

Na Segunda Guerra Mundial, a já então Leningrado se viu cercada pelas tropas de Hitler e, num ato heróico, seus habitantes passaram 900 dias de terror. Entre 500 mil e 1 milhão de pessoas morreram de fome, doenças e frio. Os que sobreviveram chegaram a comer até mesmo papel de parede das casas e cintos de couro cozidos.

A Unesco declarou 2003 como "o ano de São Petersburgo", pois em maio deste ano a cidade festejou 300 anos.

A cidade é considerada como uma das mais bonitas do mundo e é muito visitada por turistas do mundo inteiro. Sua localização permite que cruzeiros a alcancem com facilidade e ela é sempre incluída em roteiros escandinavos, por exemplo.

Como na obra-prima de Fyodor Dostoyevsky, “Os Irmãos Karamazov”, São Petersburgo tem seus três mundos superpostos e entrelaçados : o intelectual, o espiritual e o sensual.


Nevsky Prospect 1905

São Petersburgo
Distrito Federal Noroeste
Subdivisão Cidade Federal
Área 1 439 km²
População (2005) 4 661 219 habitantes
Altitude 3 metros
Fuso horário UTC+3
UTC+4 (DST)
Código telefônico +7 812
Matrículas de automóveis 78, 98
Website: www.gov.spb.ru

Fontes: Wikipedia; Morasha.com, Thekhov Viagens, Viagens!(Abril.com), Rabisco, Areliquia e Anatoli Korolev

 



Amsterdam | Bahamas | Berlin | Délhi, Mumbai, Chennai and Bangalore | Destinos Românticos | Dubai | Fortaleza | Florianópolis | Jerusalem | I Ilha da Madeira | Londres | Los Angeles | Madrid | Mekong | Montreal | Moscou | Munique | New York | Nordeste | Paris | Rio de Janeiro | Salvador | São Petersburgo | Viena | Martinica