Manet

Manet foi um mestre da pintura francesa. Inovador, escolheu novos temas e novas formas de trabalho. Por isso, não foi bem compreendido em seu tempo e passou a ser valorizado, apenas após sua morte.

Édouard Manet nasceu no dia 23 de janeiro de 1832, em Paris, na França. Em 1839, começou a estudar francês e os autores clássicos da literatura. De 1844 a 1848, foi interno de um colégio, mas só se interessava pelo curso especial de desenho oferecido pela escola.

Seu pai queria que ele se formasse em direito, mas Édouard queria ser pintor. Como o pai não lhe deu permissão para isso, embarcou aos 16 anos em um navio de carga, como aprendiz de piloto. Na volta à França, em junho de 1849, foi reprovado no exame de admissão ao colégio naval, e seu pai, finalmente, permitiu-lhe tornar-se pintor.

Com 18 anos, Manet ingressou num estúdio de pintura clássica e conheceu o revolucionário poeta Charles Baudelaire, que o inspirou a pintar o "Música nas Tulherias" (1862). Essa obra foi criada ao ar livre, sob os olhares dos transeuntes, curiosos de ver um pintor, vestido com elegância, montar seu cavalete e trabalhar em público.

 

This painting of the Tuileries Gardens in Paris was Manet's first major work depicting modern city life. The band is playing and a fashionable crowd has gathered to listen. The picture includes portraits of Manet's friends and family. These include Manet himself as well as: Baudelaire - poet (1821 - 1867); Théophile Gautier - poet and novelist (1811 - 1872); Ignace Fantin-Latour - flower-painter (1836 - 1904); Jacques Offenbach (1819 - 1880) - composer; Eugène - the artist's brother (1833 - 1892)

Música en las Tullerías (National Gallery, Londres, 1862)

 

Incompreensão dos críticos

Em 1863, Manet casou-se com a holandesa Suzanne Leenhoff. No mesmo ano, o júri do principal Salão de Arte da França rejeitou seu quadro "Déjeuner sur l’herbe" (Almoço na relva), obra de técnica totalmente revolucionária.

A pintura teve de ser exposta no Salão dos Recusados, criado para exibir obras rejeitadas pelo salão oficial. Os críticos sentiram-se ofendidos porque o quadro mostrava uma mulher nua em companhia de dois jovens em trajes formais. Eles também se aborreceram pela forma como essas figuras eram apresentadas, em uma luz sombria e impessoal, num ambiente florestal pouco realista. Tudo isso era novidade na pintura da época.

 

Le déjeuner sur l'herbe 1863, Museu de Orsay

 

Ao mesmo tempo, porém, o quadro despertou o entusiasmo dos jovens pintores que, mais tarde, formaram o núcleo do chamado grupo impressionista.

No Salão de 1865, sua pintura "Olympia" (1863) provocou mais escândalo ainda. Nela, uma mulher nua, reclinada, olha desafiadoramente para o público do quadro.

 

Artist Édouard Manet, 1862
Oil on canvas, The Hugh Lane, Dublin

 

Quando muitas de suas obras foram rejeitadas para a Exposição Universal de 1867, Manet, ao lado do pintor Gustave Courbet, que tivera a mesma ideia, montou uma barraca na esquina de uma avenida de Paris. Lá expôs cinquenta obras, mas elas não foram mais bem recebidas do que as anteriores.

Um jovem romancista, Émile Zola, ficou muito impressionado com o novo estilo da pintura de Manet. Ele escreveu um artigo longo e corajoso numa revista, fazendo muitos elogios aos quadros.

Zola viu Manet como o representante de todos os artistas inovadores que desagradam a opinião pública e os públicos, mas que no fim todos descobrem que são realmente importantes. Manet expressou sua gratidão pintando um retrato de Zola, exposto no Salão de 1868.

Durante a guerra entre a França e a Alemanha (1870-1871), Manet serviu como tenente na Guarda Nacional e testemunhou o cerco de Paris. A revolta popular chamada Comuna de Paris (1871) lhe inspirou várias pinturas, e, pela primeira vez, ele conseguiu vender um grande conjunto de quadros. O ano de 1874 também foi notável, especialmente pelo desenvolvimento da amizade de Manet com o jovem pintor impressionista Claude Monet. Os dois pintavam juntos às margens do rio Sena, em Paris.

Doença e morte

Em 1880, as pernas de Manet estavam afetadas por uma doença que, depois, evoluiu para uma septicemia fatal. Em 1881, com a doença progredindo em ritmo alarmante, mandou alguns quadros para uma importante exposição de arte francesa realizada em Londres.

Em 6 de abril de 1883, sua perna esquerda teve que ser amputada. Manet não se recuperou da cirurgia; morreu no fim do mês, no dia 30, em Paris.

No ano seguinte, em janeiro, uma exposição póstuma das pinturas de Manet foi realizada na Escola de Belas-Artes, em Paris. Fiel à sua admiração pelo artista, Zola escreveu o prefácio ao catálogo da exposição. Depois dessa homenagem, bem aceita pelos críticos, as pinturas de Édouard Manet começaram a se destacar.

Fonte: Estilo ABNT:
Édouard Manet. In Britannica Escola Online. Enciclopédia Escolar Britannica, 2015. Web,
2015. <http://escola.britannica.com.br/article/483358/Edouard-Manet>.

Home
Links

Artes Plásticas: A Arte do Brasil Holândes | A Arte do Egito Antigo | Arte Pré-Colombiana | Arte Tibetana | Beatriz Milhazes | Capela Sistina | Caravaggio, Pintor da luz e das trevas da alma | Damien Hirst | Francisco Goya | Frida: A Dor da Vida, A Dor Da Arte | Henri Rosseau | Impression : Soleit Levant | Kandinsky | La persistencia de la memoria | Las Meninas | Luz e Espaço | Manet | Meus Quadros - Leandro Reis | O quadro mais famoso do mundo | O Retrato do Doutor Gachet | Os pastores de Arcadia | Pablo Picasso | Pintura Barroca | Pintura Metafísica | Pinturas de Estradas | Rembrandt | Vieira da Silva | Virgem dos Rochedos, A | William Blake | Henri de Toulouse-Lautrec

Cinema: 1944, O Ano Noir |  A Falta que Nos Move | A Verdade Interna Revelada? | Alain Resnais | Alice no País das Maravilhas | Antonioni | As maiores canções do cinema - 0s 25 melhores filmes de todos os tempos | Bergman | Billy Wilder | Blow Up | Cahiers du Cinema | Cinzas da Guerra | Chinatown | Coincidências do Amor ( The Switch ) | Conversas com Scorsese | Ed Wood, Gênio? | Fellini | Garbo | Grandes atrizes francesas | Grande Musicais | Hachiko | Kiss Me Kate | Kundun | L’Enfer de Clouzo | Liz Taylor: Mito | Max Ophuls | Munich | Neo-Realismo Italiano | No Direction Home - Bob Dylan | O amor de Leon Cakoff | Os magos | Pier Paolo Pasolini | Rediscovering | Shane | Steven Spielberg | Sunset Boulevard | The Gang's All Here | Um estranho no ninho | Untold history of the United States | Awake .

Literatura: Arthur Clarke | Clássicos da Literatura | Dom Quixote | Jose Saramago | Joseph Conrad | Grande Gatsby, O | Grandes Poetas por Will Durant | Literatura Inglesa | Mario, Íntimo e pessoal | Vermelho e o Negros, O | Viagem do Elefante, A | Yeats e Joyce resgatam a identidade da Irlanda | Sobre preciosidades evolutivas | Carlyle e a Revolução

Outras: A Flauta Mágica | Antunes Filho | A Cabra ou Quem é SylviaAs pecas de Oscar Wilde | Bejart | Catedral de Chartres | Contemporaneidade | Daquele Instante em Diante |  Debussy, Schoenberg e Stravinsky | Grandes Arquitetos |  Hair | I´m Not There | Lacroix na ArteMistérios e paradoxos de Chopin, para Freire |  Niemeyer, construindo identidades | Nona Sinfonia | Queremos Miles |  Teatro | The Doors Are Open | Ray Charles Live in France 1961 (2011) | Sonho de uma Noite de Verão | Living in The Material World: George Harrison | Edgard Scandurra Estraçalhante | H.Hancock, Lenda Viva do Jazz | Kung Fu | Pina: Visceras de amor | Lou Reed | Música Sacra | Baden Powell Quartet | Todo Aquele Jazz | Osama Kitajima | Eric Clapton 70 | Jimmy Burns, ícone do blues de Chicago | O Lago dos Cisnes | Don Giovanni | Songs 50´s | Joe Harriott | Kindred Spirits Live | Top 10 Composers