Aos vinte anos foi contratado pela Rádio do Comércio onde acompanhava calouros e comandava uma orquestra. Lá formou com seu amigo Sivuca - também albino, e com quem costuma ser confundido - um trio chamado "O Mundo em Chamas".

No final dos anos 50 ele se mudou para o sul, primeiro para o Rio de Janeiro e depois São Paulo. Sua voracidade musical era enorme e aos poucos ele aprendia o que aparecia no seu caminho: como por exemplo, piano, baixo, palhetas e percussão.

Tocou em casas noturnas como a Stardust, onde tocava piano de maneira conservadora seguindo os requisitos da casa. Nos intervalos ia ao banheiro ou a Igreja da Consolação estudar flauta. Logo formaria o Trio Sambrasa no qual tocava piano ao lado de Airto Moreira na bateria e Claiber no baixo. Mais ou menos na mesma época, Airto o convidou para integrar o trio do qual fazia parte, o Trio Novo, com Théo de Barros no baixo e Heraldo do Monte no violão.


Airto Moreira ( 1970 )