Em 1972, durante um curto período de tempo, as prisões norte-americanas abriram suas portas e permitiram que músicos fizessem shows para os detentos. A penitenciária Sing Sing em Nova York, uma das mais barra-pesada dos Estados Unidos, convidou B.B. King, Joan Baez, The Voices of East Harlem e o comediante Jimmy Walker, entre outros, para uma apresentação ao vivo no dia de Ação de Graças diante dos presidiários, dividindo o palco com artistas anônimos que cumpriam pena. O resultado foi um concerto incrível, registrado por 9 equipes de filmagem. O jornal New York Daily News o chamou de "um dos maiores shows da história da música" e B.B. King diria mais tarde que essa talvez tenha sido a melhor apresentação de sua carreira.