A respeito de "A Paixão Segundo São Mateus", Anna Magdalena descreve episódio interessante: "Lembro-me de ter entrado em seu quarto justamente no momento em que ele se preparava para compor o solo de viola O Gólgota. Que impressão experimentei ao ver-lhe o rosto, ordinariamente tão calmo, da cor das cinzas, e inundado de lágrimas. Felizmente não me viu e pude tornar a sair silenciosamnete, indo sentar-me a chorar na escada. Ao ouvir essa música ninguém imagina o que ela custou. Tive desejos de aproximar-me dele e passar-lhe os meus braços em torno do pescoço, mas não o ousei; alguma coisa em seu olhar aterrorizava-me. Sebastian jamais soube que eu lhe surpreendera nas angústias da criação e ainda hoje me regozijo com isso, pois foi um minuto do qual somente Deus deveria ser testemunha".