DANCE

A maioria dos sons que compõem a música dance surgiram da fusão do Soul dos anos 60 com o Jazz Latino. Música composta por negros que se mantinham a parte. No entanto, no início dos anos 60, os negros ganharam mais espaço na vida civil e tiveram mais liberdade para criar e experimentar novos sons que mais tarde seriam usados pela disco music. Durante a metade dos anos 60 e início dos anos 70, época em que as maiores gravadoras de música negra como a Motown Group, Atlantic and Atco e Stax dominavam o cenário da música soul dance, produtores, arranjadores e maestros começaram a criar sons, que se diferenciavam pelo aumento do tempo do compasso e do uso de cordas, adicionando energia e excitação a qualquer música criada ali.

Outras gravadoras seguiram o exemplo e também começaram a experimentar novos arranjos com instrumentos de sopro, flautas, trumpetes, cornetas, levando a música "dance" para uma maior audiência. Assim chegou o Funk.

A influência da música negra, o soul e o funk, se faz presente de novo, como nos anos 20, com o jazz. Nesse sentido, para expansão da música foi necessário um novo som que permitisse aos brancos descobrir o soul. Assim, surgiu o jazz-latino que utilizando uma percussão mais latina envolveu o soul com um sentimento mais pop e propagou a música dançante pelo EUA.

Nos anos 70, os elementos da disco juntam-se. Após o desenvolvimento do Soul, surgimento do Funk e o toque do latino, a disco music começou a se formar.

É um erro de concepção comum que se faz quando dizem que a Disco Music surgiu nas boates gays da America no início dos anos 70. A música Disco, apesar de ter tido grande influência do sons desenvolvidos nas boates GLS, foi muito maior e mais complexa do que isso, mesmo porque a música Disco já era popular e circulava por vários lugares muito antes. Também se falava que os filmes "Saturday Night Fever" e "Thank God It’s Friday" foram importantes pontos de virada para a chegada do movimento Disco. Para aqueles que acreditam que a Disco foi apenas a dance music dos Bee Gees, isso seria verdade, porém a história é muito maior.

HOUSE

No princípio dos anos 80, Djs de Chicago e Nova York começaram a brincar com músicas que misturavam velhas peças de disco e soul para depois fundí-las com o som de um novo aparelho: a bateria eletrônica 808 da Roland (que encaixava perfeitamente em seus sets).

É extremamente dançante e muitas vezes parecida com uma música já conhecida. Às vezes, pode ter um pouco de vocal, mas geralmente tem apenas frases "loopadas". Foi na discoteca The Warehouse de Chicago onde o House entrou em cena pela primeira vez. Evoluindo e adquirindo uma espécie de som "feliz", mostrou sua principal característica - com acordes de piano, vocais femininos e linhas de baixo movimentadas.

O House chegou no seu auge nos finais da década de 90. A partir daí surgiram diversificados sub gêneros com os prefixos deep, funky, vocal, filtred, hard, e tek.

Disco Classics

A "MR GROOVE" Com 16 anos de atividades, a Mr. Groove se estabelece com know-how expressivo no mercado fonográfico, uma história de ousadia e conquista. Que se iniciou em 1987 com a Discomania que estremeceu e abasteceu São Paulo com lançamentos dos anos 90 e raridades dos anos 70 e 80. Várias conexões Europa/USA/Brasil deram a Discomania o diferencial da época, que durante esses anos escreveu importantes capítulos da música Black e Eletrônica no Brasil. A inovação e a qualidade musical a acompanham até 1998, quando finaliza suas atividades. Em 2001, retorna como Mr.Groove e com a visão em novos horizontes, começa a galgar a largos passos, agora em outro nicho do mercado: clássicos da Disco, Funk, Soul Music e MPB. Mescla gerações que a intitulam como especializada no gênero dos Clássicos.

Visite o Site MR. Groove Records

Agradecimentos : Obrigado & Good Vibes; Marcello RC e Ana Labate



Links

Agenda

Em cartaz Cinema

Em cartaz Teatro

Matérias: Live Earth | Disco Classics | Earth, Wind & Fire | Os Fofos Encenam | Laços do Olhar | Rock in Rio | Kool ang Gang | Lenda do Jazz no Brasil | Elizabeth Jobim - Endless Lines | Diana Krall no Brasil | Shows Novembro | Chaka Khan e Branford Marsalis | Gagaku, Bugaku e Shomyo | Cantata no Jockey | Shows 2009 | Madonna no Brasil | Maysa | Elton John | Grammy 2009 | Brit Awards | Simply Red no Brasil | Paul e Michael com ingressos esgotados | Radiohead | Prêmio internacional de fotografia: Sony World Photography | Hot List | A procura de um olhar | Burt Bacharach | Shows Abril 2009 | Virada Cultural 2009 | Oasis no Brasil | Terminator Salvation | FAM 2009 | Iggy Pop lança Preliminaries | Grande Álbuns - Michael Jackson | Festival de Inverno de Campos do Jordão 2009 | Shows 2º Semestre 2009 | Grandes Álbuns II | Dinossauros da música eletrônica ressurgem em 2009 | Festival de Cinema Veneza 2009 | Álbuns Clássicos do Jazz | Flashback Mr Groove | Festival Planeta Terra | Donna Summer | Grammy 2010 | Programação Verão 2010 | Brit Awards 2010 | Oscar 2010 | Valleys of Neptune | Albuns - Lançamentos 2009 / 2010 | Nelly Furtado no Brasil | Documentário Loki | Matérias Novas

Destaques: A volta do Queen | Babyshambles | Cantoras Brasileiras | Cena Eletronica | Clocks | Corinne Bailey | Dig Out Your Soul | Escola do Pop Rock | Horace Silver | Im Takt der Zeit | Keane | Jamie Cullum | John Legend | Julliete & The Licks | Kantata Takwa | Led Zeppelin | Madeleine Peyroux | Michael Jackson - Thriller 25 | Little Boots | Miriam Makeba | Mostra de Arte / Casais | Musicians and Machines | Nara e Fernanda | Nonsense | Oscar Peterson | Paul McCartney | Piaf - Um hino ao amor | Prokofiev | Regentes | Rotciv | Stay | Studio 54 | Yo-Yo Ma | The Heist Series | The Verve - Forth | Vanessa da Mata | Demis Roussos & Aphrodite's Child | Tommy avec The Who | Villa Lobos, Brisa Vesperal

Voltar para página inicial